Maior defensor do software livre no mundo faz palestra na UFPA

Postado Por: Marco Aurélio | Data: 14/12/2015 | Visualizado: 54

Software livre e educação é o tema da palestra ministrada, na Universidade Federal do Pará (UFPA), por um dos maiores incentivadores do uso de software livre no mundo, o norte-americano Jon “Maddog” Hall. Ele participou, nesta quarta-feira, 9, de um evento organizado pelo Centro de Tecnologia da Informação e Comunicação (CTIC) da UFPA, o qual foi destinado a toda a comunidade acadêmica, em especial, aos alunos e professores da área de Tecnologia da Informação e Comunicação, assim como aos profissionais e interessados nessa temática.

Durante a palestra, Jon Hall discutiu quatro temas importantes: primeiro, o uso do software livre no ensino, trazendo uma proposta de currículo completo para Ciência de Computação; segundo, referente ao empreendedorismo e como se tornar um desenvolvedor de software/harware livre; terceiro, a temática de offices, que são aplicativos para escritório que contêm processador de texto, planilha de cálculo, banco de dados, apresentação gráfica e gerenciador de tarefas, de e-mails e contatos, entre outros, e em especial a Microsoft Office; e falou sobre o Cisco Networking, um programa destinado a formar profissionais na área de redes de computadores.

  Para Maddog, a produção brasileira pode ser vantajosa, inclusive pelos benefícios econômicos. "O Brasil compra muita tecnologia americana, um dinheiro que poderia ser gasto com programadores jovens", afirma, brincando que o investimento interno é uma opção muito melhor para o Brasil.

Temática do evento – “Software livre, segundo a definição criada pela Free Software Foundation (FSF), é qualquer programa de computador que pode ser usado, copiado, estudado, modificado e redistribuído com algumas restrições. Por ‘software livre’, deve-se entender aquele software que respeita a liberdade e o senso de comunidade dos usuários. Desta forma, os usuários possuem a liberdade de executar, copiar, distribuir, estudar, mudar e melhorar o software. Com essas liberdades, os usuários controlam o programa e o que ele faz”, ressaltou Sandra Rocha, uma das representantes do Comitê Técnico de Implantação de Software Livre no governo federal.

 

A respeito da relação do software livre com a educação, Sandra Rocha citou uma frase do professor Ronald da Costa, da Secretaria Geral da Presidência da República, mestre em Ciência da Informação: "A grande sacada do software livre aliado à educação é a gente transpor essa filosofia de colaboração, troca de experiências, de se doar ao próximo. O software livre tem essa filosofia e, na educação, o importante é mostrar isso para o aluno. A partir do momento em que a gente mostra a possibilidade do protagonismo, isso é transformador."

A filosofia do software livre – A importância do evento consistiu na oportunidade de discutir e disseminar a filosofia do software livre para a comunidade acadêmica, por meio de um importante profissional desse movimento no mundo: Jon “Maddog” Hall. O palestrante é um dos mais importantes protagonistas e incentivadores do uso de software livre, e por isso é reconhecido na comunidade de desenvolvedores. Em 2006, recebeu o Prêmio de Reconhecimento para Toda a Vida por seus serviços à comunidade de Código Fonte Aberto.

Hall possui Mestrado em Ciência da Computação pelo Rensselaer Polytechnic Institute (1977) e um Bacharelado em Comércio e Engenharia pela Drexel University (1973). “Ele trabalha na área de TI desde 1969, possuindo, portanto, uma vasta experiência que costuma sempre socializar em suas palestras”, afirma Sandra Rocha, representante do Comitê Técnico de Implantação de Software Livre no governo federal.

De acordo com a organização do evento, a escolha de Jon Hall deu-se, principalmente, por ser ele um personagem extremamente reconhecido e respeitado no movimento do software livre. Jon é o diretor Executivo da Linux International, que é uma associação sem fins lucrativos de empresas de grande relevância internacional na área de TI que desejam promover sistemas operacionais baseados em Linux.

Texto: Elisa Vaz – Assessoria de Comunicação da UFPA
Fotos: Alexandre Moraes